quarta-feira, 27 de maio de 2015

Estreias 28 Maio'15: Timbuktu, Fehér isten, Tomorrowland, O Indispensável Treino da Vagueza, Jag är nyfiken, Poltergeist, Toute première fois, Big Game e Crime

Dia 28 de Maio de 2015, pode contar com as seguintes estreias numa sala de cinema perto de si:

Destaques:

  Timbuktu (Timbuktu)
Ano: 2014
Género: Drama
Elenco: , ,
Tombuctu (também chamada de Timbuktu), no Mali, é cidade Património Mundial da UNESCO desde 1988. De pequena povoação perdida no deserto do Sara, o lugar transformou-se, ao longo dos séculos, em capital intelectual e espiritual de África, um oásis no deserto que foi despertando a atenção do mundo. Em 2012, a cidade é ocupada por um grupo islâmico liderado por Iyad Ag Ghaly. O medo e a incerteza apoderam-se daquele lugar. Por ordem dos fundamentalistas religiosos, a música, o riso, os cigarros e o futebol são banidos. As mulheres são obrigadas a usar véu e a mostrar submissão total. A cada dia surgem novas leis para serem cumpridas e a vida de cada um dos habitantes vai sendo modificada tragicamente. Não muito longe dali vive Kidane com a mulher Satima, a filha Toya e Issan, um jovem pastor de 12 anos. A existência desta família, até agora tranquila, vai alterar-se abruptamente quando Kidane é acusado de um crime… Realizado pelo mauritano Abderrahmane Sissako, um filme dramático, baseado num episódio real, que tenta denunciar a propagação do fundamentalismo. Depois da sua passagem pelo Festival de Cinema de Cannes, "Timbuktu" foi nomeado para o Óscar de Melhor Filme Estrangeiro e venceu sete prémios César: Melhor Filme, Melhor Realizador, Melhor Argumento Original (Abderrahmane Sissako, Kessen Tall), Melhor Música Original (Amine Bouhafa), Melhor Som (Philippe Welsh, Roman Dymny, Thierry Delor), Melhor Fotografia (Sofian El Fani) e Melhor Montagem (Nadia Ben Rachid).

Outras sugestões:

Deus Branco (Fehér isten)



Ano: 2014
Para inverter a miscigenação entre raças caninas, é criado um imposto para quem possua um cão que não esteja registado como puro-sangue. Por essa razão, muitos donos abandonam os seus animais, levando à sobrelotação dos canis e ao consequente abate de milhares de animais. Lili, de 13 anos, faz o que pode para que Hagen, o seu adorado rafeiro, seja poupado a essa sorte. Quando o pai o deixa no meio da rua, Lili entra em desespero, passando dias e noites à sua procura. Lutando para sobreviver, Hagen junta-se a um grupo de cães desamparados que, tal como ele, sentem a raiva a aumentar a cada dia. Até que, após uma fuga ao canil, milhares de vadios se agrupam, decididos a dar início a uma rebelião contra os que os abandonaram. O seu desejo de justiça é desmedido e parece que nada poderá atenuar a sua sede de vingança. A não ser, talvez, Lili, a jovem que nunca desistiu do seu melhor amigo… Um filme dramático, realizado pelo húngaro Kornél Mundruczó ("Tender Son: The Frankenstein Project"), que reflecte sobre a desigualdade e as injustiças entre raças. Em Cannes, "Deus Branco" recebeu o prémio Un Certain Regard e os cães que participaram na obra foram galardoados com o Palm Dog Award (melhor actuação canina num filme).


Tomorrowland - Terra do Amanhã (Tomorrowland)



Ano: 2015
Realização:
Argumento: ,
Género: Aventura
Elenco: , ,  
Frank Walker já foi um inventor prodigioso e cheio de esperança no futuro. Agora, decepcionado com o mundo, tudo o lhe sobra desse passado são ilusões. Casey Newton, por seu lado, é uma adolescente brilhante e sempre receptiva a novidades. Quando ela descobre um objecto que a leva para uma realidade paralela, vê o seu destino cruzar-se com o de Frank. Os dois embarcam assim numa aventura que os transportará a Tomorrowland, um enigmático local existente num tempo e lugar indefinidos. Esta viagem mudará não apenas as suas vidas, mas também o futuro da Humanidade... Um filme de aventura com realização de Brad Bird ("The Incredibles - Os Super-Heróis“, "Ratatui", "Missão Impossível: Operação Fantasma"), que escreve o argumento em parceria com Damon Lindelof. O elenco conta com George Clooney, Britt Robertson, Hugh Laurie e Kathryn Hahn, entre outros.

O Indispensável Treino da Vagueza (O Indispensável Treino da Vagueza)


Ano: 2014
Género: Documentário
Um documentário realizado por João Miller Guerra e Filipa Reis que parte de um convite de Manuel Castro Caldas, director da Ar.Co - Centro de Arte e Comunicação Visual, para celebrar os 40 anos da instituição. Recorrendo ao arquivo audiovisual da escola e a aulas gravadas, o filme reflecte sobre a experiência do ensino artístico, assim como as dificuldades do processo criativo. Nas palavras dos realizadores, a obra "deve-se a um encontro cruzado de caminhos de intuição que foram sendo partilhados, uma enorme vontade de espelhar e repensar o que ao longo de 40 anos tem sido, esse sim, um indispensável trabalho da vagueza". Assim, "procurou-se, através da colagem, acentuar o carácter mais lunático do trabalho artístico (…). Interessava trazer para este filme sobretudo momentos de criação livre e não momentos de puro registo ou de enquadramento da instituição". Em complemento, é exibido o filme "Fora da Vida", também da autoria de Reis e Miller Guerra, sobre o salário mínimo e a vida dos trabalhadores em Portugal em contexto de crise. Arrecadou o prémio de Melhor Curta-Metragem Portuguesa no IndieLisboa 2015.

Sou Curiosa & Continuo a Ser Curiosa (Jag är nyfiken)

Ano: 1967
Realização:
Argumento:
Género: Drama
Elenco: , ,
Nos finais dos anos 60, apesar da crescente liberalização, este filme de Vilgot Sjöjman (1924-2006) causou um enorme escândalo, bem como o segundo que se lhe seguiu: "Continuo a Ser Curiosa", em 1968. Esta obra, apaixonadamente defendida à época por Norman Mailer, é um filme desconcertante, tanto pelo seu lado provocante, como por uma abordagem de representações sexuais que se situam algures entre o exibicionismo e o "voyeurismo", como entre o "soft-core" e o "hard-core".

Poltergeist (Poltergeist)

Ano: 2015
Realização:
Argumento: 
Género: Terror
Elenco: , ,
 
Eric e Amy Bowen acabaram de se mudar para uma grande casa nos subúrbios com os seus três filhos. Todos se sentem entusiasmados com a perspectiva de viver naquele lugar e dar início a uma nova etapa das suas vidas. O que eles nunca poderiam prever era que aquela casa estivesse assombrada por espíritos perturbados. Madison, a filha mais nova, irresistivelmente atraída pelo televisor, começa a conversar com as "pessoas da TV". Certo dia, a menina desaparece e a sua voz é ouvida do outro lado do ecrã a pedir socorro. Desesperados e sem saberem o que fazer para salvar a criança, Eric e Amy decidem procurar a ajuda de uma equipa de estudiosos do paranormal. Mas o pesadelo ainda mal começou... Realizado por Gil Kenan ("A Casa Fantasma", "Cidade das Sombras"), é o "remake" do filme de culto com o mesmo nome realizado, em 1982, por Tobe Hooper, com argumento e produção de Steven Spielberg.

Há Sempre Uma Primeira Vez (Toute première fois)

Ano: 2015
Género: Comédia
Elenco: , ,
 
Jérémie é um homem jovem, realizado e feliz. Depois de alguns anos a namorar com Antoine, o grande amor da sua vida, ele acha que é chegado o momento de dar o nó. Porém, a vida troca-lhe as voltas quando, certa manhã, acorda ao lado de uma belíssima mulher. Percebendo o alcance do que lhe acabou de acontecer, Jerémie entra em pânico pois, além de ter traído a pessoa que julgava amar, não sabe como reagir ao facto de, afinal, sentir uma forte atracção pelo sexo oposto… Com realização de Maxime Govare e Noémie Saglio, uma comédia que, além de parodiar as relações amorosas, inverte o estereótipo sobre homossexualidade.

Big Game - Instinto Caçador (Big Game)



Ano: 2014
Realização: 
Argumento: 
Género: Acção, Aventura
Elenco: , ,
 
Na sequência da intercepção por terroristas do "Air Force One" (avião presidencial norte-americano), enquanto sobrevoava a Finlândia, o Presidente dos Estados Unidos (Samuel L. Jackson) é evacuado de emergência. Ferido e abandonado à sua sorte no meio de uma floresta gelada, não sabe que rumo tomar. É então que conhece Oskari (Onni Tommila), um rapaz de 13 anos que, a meio de um exercício de iniciação à idade adulta, foi deixado na floresta durante 24 horas com apenas um arco e flecha. Agora, com homens armados no seu encalço, o Presidente sabe que a sua vida depende de Oskari e das suas capacidades de sobrevivência àquele lugar hostil… Estreado no Festival de Cinema de Toronto (Canadá), um filme de acção e aventura realizado pelo finlandês Jalmari Helander, que se baseia no romance homónimo de Dan Smith.
Crime (Crime)

Ano: 2015
Realização:
Argumento:
Género: Drama
Elenco: ,
 
A 8 de Janeiro de 2011, o jornalista e cronista social Carlos Castro, de 65 anos, foi encontrado morto num quarto de hotel, em Nova Iorque (EUA). O assassino, Renato Seabra, era um jovem modelo que com ele mantinha uma relação amorosa, assumidamente a troco de favores. Em Dezembro de 2012, depois de confessar o crime, Renato Seabra foi condenado a uma pena entre 25 anos de cadeia e prisão perpétua. Tendo este caso como ponto de partida, o realizador Rui Filipe Torres constrói uma história sobre obsessão e poder entre António e Rodrigo, personagens interpretados pelos actores João D'Ávila e Rúben Garcia. O argumento em que o filme se apoia adapta a peça de teatro "Crime em New York", da autoria de D'Ávila, sobre o crime que vitimou Carlos Castro.
Sinopses: Cinecartaz Público

domingo, 24 de maio de 2015

"Os Maias" vence o Globo de Ouro 2015 de Melhor Filme


A organização da SIC e da revista Caras entregou o Globo de Ouro 2015 para Melhor Filme a Os Maias - Cenas da Vida Romântica. Filipe Duarte e Maria do Céu Guerra venceram os prémios de interpretação.

Melhor Filme
Os Maias - Cenas da Vida Romântica, de João Botelho

Melhor Actor
Filipe Duarte em A Vida Invisível

Melhor Actriz
Maria do Céu Guerra em Os Gatos Não Têm Vertigens

De Cannes 2015 para Portugal


NOS Audiovisuais
Carol, de Todd Haynes (Selecção oficial - Melhor Actriz)
The Lobster, de Yorgos Lanthimos (Selecção oficial - Prémio do Júri)
Macbeth, de Justin Kurzel (Selecção oficial)
Mon roi, de Maïwenn (Selecção oficial - Melhor Actriz) - 5 de Novembro de 2015
Il racconto dei racconti, de Matteo Garrone (Selecção oficial) - 3 de Dezembro de 2015
La giovinezza, de Paolo Sorrentino (Selecção oficial)
Amy, de Asif Kapadia (Exibição da Meia-Noite)
Oka, de Souleymane Cisse (Exibição especial)
A Tale of Love and Darkness, de Natalie Portman (Exibição especial)
Maryland, de Alice Winocour (Un Certain Regard)
Inside Out, de Pete Docter e Ronaldo Del Carmen (Fora de competição) - 18 de Junho de 2015
The Little Prince, de Mark Osborne (Fora de competição) - 3 de Dezembro de 2015
Mad Max: Fury Road, de Mark Miller (Fora de competição) - Em exibição

Leopardo Filmes
La tête haute, de Emmanuelle Bercot (Filme de abertura - Fora de competição)
The Sea of Trees, de Gus Van Sant (Selecção oficial)
Mia Madre, de Nanni Moretti (Selecção oficial - Prémio do Júri Ecuménico)
Our Little Sister, de Koreeda Hirokazu (Selecção oficial)
The Valley of Love, de Guillaume Nicloux (Selecção oficial)
The Treasure, de Corneliu Porumboiu (Un Certain Regard - Prémio Un Certain Talent)
In the Shadow of Women, de Philippe Garrel (Quinzena dos Realizadores - Filme de abertura)
My Golden Days, de Arnaud Desplechin (Quinzena dos Realizadores - Prémio SACD)
Journey to the Shore, de Kiyoshi Kurosawa (Um Certain Regard - Melhor Realizador)
Rams, de Grímur Hákonar - Un Certain Regard - Prémio Um Certain Regard)
An, de Naomi Kawase (Un Certain Regard)
The Wakhan Front, de Clément Cogitore (Semana da Crítica)
Amnesia, de Barbet Schroeder (Exibição especial)

Midas Filmes
The Assassin, de Hou Hsiao Hsien (Selecção oficial - Melhor Realizador
Dheepan, de Jacques Audiard (Selecção oficial - Palma d'Ouro)
Mountays May Depart, de Jia Zhang-ke (Selecção oficial)
Cemetery of Splendour, de Apichatpong Weerasethakul (Un Certain Regard)
Son of Saul, de László Nemes (Selecção oficial - Grande Prémio do Júri)
Taklub, de Brillante Mendoza (Um Certain Regard)
Love, de Gaspar Noé (Fora de competição)

Alambique Filmes
Louder than Bombs, de Joachim Trier (Selecção oficial)

Pris Audiovisuais
Sicario, de Denis Villeneuve  (Selecção oficial) - 24 de Setembro de 2015
Irrational Man, de Woody Allen (Exibição especial) - 3 de Setembro de 2015

O Som e a Fúria
As Mil e Uma Noites, de Miguel Gomes (Quinzena dos Realizadores)

Outsider Films
Mustang, de Deniz Gamze Ergūven

"Dheepan" vence Palma d'Ouro no Festival de Cannes 2015


O filme Dheepan foi o vencedor da Palma d'Ouro no Festival de Cannes 2015. O filme era um dos menos consensuais entre a crítica e apontado como um filme menor do realizador francês Jacques Audiard, já vencedor dos prémios para Melhor Argumento e Grande Prémio do Júri em outras edições do festival. Um dos favoritos, Son of Saul, recebeu o Grande Prémio do Júri.

Competição oficial


Palma d'Ouro
Dheepan, de Jacques Audiard

Grande Prémio do Júri
Son of Saul, de László Nemes

Melhor Realizador
Hou Hsiao-Hsien por The Assassin

Melhor Actor
Vincent Lindon em The Measure of a Man

Melhor Actriz
Emmanuelle Bercot em Mon roi & Rooney Mara em Carol

Prémio do Júri
Yorgos Lanthimos por The Lobster

Melhor Argumento
Michel Franco por Chronic

Outros prémios


Palma de Honra
Agnès Varda

Caméra d'Or
Land and Shade, de Cesar Augusto Acevedo

Palma d'Ouro para Melhor Curta
Waves '98, de Ely Dagher

Prémio do Júri Ecuménico
Mia Madre, de Nanni Moretti

Cinéfondation


Primeiro Prémio
Share, de Pippa Bianco

Segundo Prémio
Locas Perdidas, de Ignacio Juricic Merillán

Terceiro Prémio
The Return of Erkin, de Maria Guskova & Victor XX, de Ian Garrido López

"El Abrazo de la Serpiente" premiado na Quinzena dos Realizadores 2015


O filme colombiano El Abrazo de la Serpiente, da secção paralela ao Festival de Cannes 2015, Quinzena dos Realizadores, foi galardoado com o prémio Art Cinema. Sem competição oficial, a secção apenas é alvo de alguns prémios colaterais de entidades alheias ao festival. O francês Arnaud Desplechin foi premiado pela Society of Dramatic Authors and Composers (prémio SACD).

Prémio Art Cinema
El Abrazo de la Serpiente, de Ciro Guerra

Prémio SACD
Trois souvenirs de ma jeunesse, de Arnaud Desplechin

Prémio Europa Cinemas Label
Mustang, de Deniz Gamze Erguven

Islandês "Rams" vence secção oficial Un Certain Regard no Festival de Cannes 2015


O júri da secção oficial do Festival de Cannes 2015, Un Certain Regard, decidiu premiar Rams, do realizador islandês Grímur Hákonarson, com o galardão máximo. A história segue a luta de dois irmãos, que não se falam há mais de quarenta anos, para tentar salvar o seu rebanho.

Prémio Un Certain Regard
Rams, de Grímur Hákonarson

Prémio do Júri
The High Sun, de Dalibor Matanic

Melhor Realizador
Kiyoshi Kurosawa por Journey to the Shore

Prémio Un Certain Talent
Corneliu Porumboiu por The Treasure

Prémio Especial
Nahid, de Ida Panahandeh & Masaan, de Neeraj Ghaywan

"Son of Saul" e "Masaan" vencem prémio FIPRESCI no Festival de Cannes 2015


O filme húngaro Son of Saul venceu o prémio FIPRESCI entregue pela Federação Internacional de Críticos de Cinema, como o melhor filme da competição oficial do Festival de Cannes 2015. Primeira longa-metragem de László Nemes, será distribuído em Portugal pela Midas Filmes, com a história de um prisioneiro do campo de concentração de Auschwitz, em 1944, que tenta salvar o corpo do seu filho da cremação. O indiano Masaan foi o premiado da secção Un Certain Regard.

Competição oficial
Son of Saul, de László Nemes

Un Certain Regard
Masaan, de Neeraj Ghaywan

Secções paralelas
La Patota, de Santiago Mitre

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Vencedores do passatempo Agentes Universitários

Argentino "La Patota" vence Semana da Crítica, secção paralela ao Festival de Cannes 2015


O filme La Patota, do argentino Santiago Mitre (El estudiante) venceu o Grande Prémio Nespresso na Semana da Crítica, secção paralela ao Festival de Cannes 2015. O filme é um remake do filme homónimo, estreado em Portugal no ano de 1963, realizado por Daniel Tinayre. A história segue Paulina, uma jovem advogada que abandona a carreira para se dedicar ao ensino numa região interior da Argentina. Após a sua chegada, ela é violentada por uma gangue de jovens, composta inclusive por alguns dos seus alunos.

La tierra y la sombra foi também duplamente premiado, com os prémios SACD e Prémio Visionário France 4.